Skip to content
Published 20/03/2019

Já faz um ano que as discussões em torno da sindicalização da indústria de jogos surgiu na GDC 2018. Durante o evento, a Game Workers Unite (GWU) foi formada e contando com diversos desenvolvedores insatisfeitos com as condições de trabalho, o movimento propôs a criação de sindicatos e trouxe a tona o debate sobre os diversos problemas que todo profissional dentro da indústria sofre.

Alimentado por diversas denúncias de assédio, abuso sexual, longas jornadas de trabalho e demissões em massa como o recente caso da Activision/Blizzard, o assunto ganhou repercussão e já trouxe resultados com o primeiro sindicato sendo formado na Inglaterra.

Como um movimento internacional, a GWU possui capítulos em diversos países, como no Brasil, com cada região se organizando e trazendo o debate para o foco. O Holodeck acredita na necessidade de melhorias na indústria e apoia a GWU.

Logo, para divulgar a causa, recebemos André Asai, game designer e atualmente na Skullfish, a pesquisadora, game designer e co fundadora da JoyMasher Thais Weiller e Gilberto Ricci, programador e membro do Infoproletários.

Teremos também, no final do programa, o audio enviado pela Marijam Didžgalvytė, a Presidente do Comitê de Comunicações da GWU International. Fica o aviso que o áudio é em inglês, mas você pode conferir as perguntas (tentarei transcrever e traduzir as respostas em breve) enviadas neste link.

Lembramos também que a Game Workers Unite estará presente novamente na GDC, que ocorre de 18 a 22 de março, então fique por dentro do assunto e confira a agenda de eventos da GWU na GDC 2019 aqui.

Tem alguma dúvida? Entre em contato conosco em contato@holodeckdesign.com.br

Siga o Holodeck no Twitter, InstagramYouTube Facebook.

COMENTADO NO EPISÓDIO E LINKS RELEVANTES:

INDICAÇÕES DO EPISÓDIO:

Músicas: